Publicado por: Márcio Pereira | Dezembro 13, 2009

HIV/ SIDA, por Enf.ª Silvana Bernardes

No passado dia 1 de Dezembro comemorou-se o Dia Mundial da SIDA.

Este ano o tema de discussão das actividades deste dia foi a discriminação no local de trabalho. Isto alerta-nos para uma problemática social que frequentemente afecta as pessoas com infecção com HIV/ SIDA, muitas vezes fundamentada em falsas crenças e representações sobre as formas de transmissão da doença e a sua progressão. Assim sendo, o artigo deste mês visa esclarecer algumas questões sobre esta infecção.

O que é o HIV/ SIDA?

A sigla SIDA significa Síndrome de Imunodeficiência Adquirida. Trata-se de uma doença imunossupressiva, que destrói progressivamente os linfócitos, importantes células de defesa do nosso organismo.

Resulta de uma infecção pelo HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). Já foram identificadas duas estirpes deste vírus: o HIV-1, que é responsável pela maioria dos casos de SIDA, e o HIV-2, que continua a ser cada vez mais encontrado no ocidente africano.

Nem todos os doentes infectados com HIV têm SIDA. A SIDA é a fase mais grave da infecção pelo HIV e está intimamente relacionada com o aparecimento de algumas complicações, como infecções oportunistas, cancros, entre outras situações.

O indivíduo infectado com HIV, mas que não manifesta sinais ou sintomas da doença ou outras complicações graves, designa-se de seropositivo.

Como se transmite o HIV?

Tanto o doente com SIDA como o seropositivo podem transmitir o HIV. A transmissão do vírus exige um contacto directo com um líquido corporal que contenha células infectadas ou partículas virais. Assim, o vírus transmite-se através de:

  • Relações sexuais sem preservativo;
  • Contacto com sangue infectado;
  • Utilização de agulhas, seringas ou outro material de injecção contaminado;
  • De mãe para filho, durante a gravidez, parto e aleitamento.

O HIV não se transmite por:

  • Relações sexuais protegidas com preservativo;
  • Comida ou talheres;
  • Tosse ou espirros;
  • Picadas de insectos;
  • Uso de casas de banho;
  • Apertos de mão ou abraços;
  • Trabalhos de equipa e contactos sociais.

Como é feito o tratamento?

A terapêutica anti-retrovírica é o tratamento utilizado para melhorar a qualidade de vida e reduzir a morbilidade e a mortalidade dos doentes com HIV/ SIDA.

Estes medicamentos não matam o vírus, mas reduzem o seu crescimento, interferindo com alguma das fases do seu ciclo de vida. Isto faz com que as pessoas com HIV/ SIDA possam viver mais tempo e mais saudáveis.

Escrito por: Enfª Silvana Bernardes

Referências Bibliográficas:

COORDENAÇÃO NACIONAL PARA A INFECÇÃO VIH/SIDA. Prevenção, diagnóstico e tratamento [em linha] (acedido em 10/12/09). Disponível em URL: www.sida.pt

PHIPPS, Wilma J.; SANDS, Judith K.; MAREK, Jane F. Enfermagem médico-cirúrgico: conceitos e pratica clínica. 6ª Edição. 1º e 2º Volume. Lisboa: Lusociência, 2003.

SMELTZER, BARE. Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 10ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Editora, 2002.


Responses

  1. nao percebi nada


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: