Publicado por: Márcio Pereira | Agosto 23, 2009

Cancro de Pele: Auto-Exame Cutâneo, por Enf.ª Silvana Bernardes

Escrito por: Enf.ª Silvana Bernardes

Verão, calor, época de praia! Mas também de exageros… de exposição solar desregrada, com todas as consequências que dela podem advir. Em Portugal, todos os anos surgem cerca de 10 mil novos casos de cancro da pele. A exposição solar excessiva é responsável por cerca de 90% destes casos.

O cancro de pele é o tipo de cancro mais frequente nas pessoas de raça branca. Existem 2 grupos de cancro de pele mais frequentes:

  • os carcinomas (baso-celulares ou espino-celulares) – são os mais comuns. Surgem frequentemente depois dos 40 anos, ou em idades mais avançadas, e nas áreas do corpo mais vulneráveis e expostas ao sol;
  • o melanoma – é o cancro de pele mais perigoso e agressivo. Pode surgir em pessoas mais jovens e está frequentemente associado a uma exposição solar intempestiva e intermitente.

Apesar de tudo, o cancro de pele tem grandes hipóteses de cura. O segredo está no diagnóstico precoce.

O que é o auto-exame cutâneo?

Do mesmo modo que devemos fazer o auto-exame da mama ou dos testículos regularmente, também devemos dar à nossa pele esta importância.

O auto-exame cutâneo permite que nos familiarizemos com todos os sinais, sardas ou manchas escuras da nossa pele, de modo a nos capacitarmos para uma detecção precoce de qualquer alteração. É simples, não demora mais de 10 minutos e não envolve muitos recursos (apenas luz, uma espelho grande e outro mais pequeno, um secador de cabelo e uma cadeira).

A Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo, estabelece algumas etapas a seguir durante o auto-exame cutâneo:

  • 1ª Etapa – Inspeccione as palmas das mãos, sem esquecer os espaços entre os dedos, e os antebraços.
  • 2ª Etapa – Coloque-se em frente a um espelho e dobre os braços para si, de modo a poder avaliar a parte de trás dos antebraços e os cotovelos.
  • 3ª Etapa – Observe toda a parte da frente do seu corpo (face, pescoço, tronco e braços, inclusive o lado de dentro).
  • 4ª Etapa – Vire-se com o lado direito do corpo para o espelho, levante os braços e avalie todas as partes do corpo. Repita o procedimento para o lado esquerdo.
  • 5ª Etapa – Coloque-se de costas e examine as nádegas e as pernas.
  • 6ª Etapa – Com a ajuda do espelho pequeno, examine a parte de trás do pescoço e dos braços e as costas.
  • 7ª Etapa – Examine o couro cabeludo com o espelho pequeno. Use o secador para ajudar a separar os cabelos.
  • 8ª Etapa – Usando uma cadeira e com a ajuda do espelho pequeno, inspeccione o lado de dentro das pernas.
  • 9ª Etapa – Ainda sentado, examine os pés (não se esqueça do espaço entre os dedos e da planta do pé). Examine igualmente o ânus e órgãos genitais.

Este exame ganha maior importância em pessoas com pele clara, sardenta e/ou com muitos sinais, cabelo ruivo ou loiro, olhos claros, que queimam facilmente com o sol e têm dificuldade em se bronzear, que se expõem de forma irregular ao sol, que têm antecedentes de queimaduras solares ou de familiares com cancro de pele.

A que alterações se deve estar atento?

Deve-se ficar alerta sempre que se detecta que:

  • Surgiu um novo sinal, de cor negra, num local onde não existia;
  • Um sinal alterou o seu tamanho, forma, bordos, cor e evolução;
  • Um sinal causa comichão, inflama, fica com ferida ou sangra.

Para reconhecer alterações significativas pode-se usar a regra ABCDE:

  • A: Assimetria (o sinal tem uma forma irregular, não é redondo);
  • B: Bordo (o contorno do sinal é irregular, mal delimitado);
  • C: Cor (o sinal não apresenta uma cor uniforme);
  • D: Diâmetro (o sinal tem mais de 5 mm);
  • E: Espessamento (o sinal ficou mais espesso recentemente).

Pode-se prevenir o cancro de pele?

Dado que a primeira causa do cancro de pele é a exposição solar, os cuidados com o sol são a principal arma para prevenir este problema.

  • Use sempre protector solar, com facto de protecção adequado ao seu tipo de pele. Aplique-o 15 a 30 minutos antes da exposição e a cada 2 a 3 horas durante a exposição.
  • Evite expor-se ao sol entre as 10h e as 16h.
  • Evite banhos de sol por períodos superiores a 2h e 30min por dia.
  • Use sempre que possível roupas de protecção, para minimizar a exposição solar (t-shirt, chapéu, etc.).

Bibliografia:

Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (2009). Auto-exame cutâneo [em linha] (acedido em 20/08/09). Disponível em URL: http://www.apcc.online.pt/default.asp

Liga Portuguesa Contra o Cancro (2009). Cancro Cutâneo [em linha] (acedido em 20/08/09). Disponível em URL: http://www.ligacontracancro.pt/

Otto, S. [et al.]. Enfermagem em Oncologia. 3ª Edição. Lisboa: Lusodidacta, 2001.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: